sexta-feira, 15 de março de 2013

Design+Artesanato: Leituras Bugs

Nós lemos e recomendamos com entusiasmo o livro Design + Artesanato: o caminho brasileiro, de Adélia Borges, publicado pela Editora  Terceiro Nome.

Mais do que leitura, foi uma degustação com sabor brasileiro, da grande variedade  e das inúmeras possibilidades que se apresentam ao voltarmos nossos olhares e atenção para a habilidade que tantos grupos brasileiros possuem de transformar os materiais corriqueiros, cotidianos, utilizando saberes ancestrais e criatividade em objetos, peças e produtos, materializando assim a cultura, uma forma de viver e lidar com o mundo.


Além disso, é sempre muito esclarecedor, instrutivo e prazeroso ler as reflexões e análises de Adélia Borges, que com grande perspicácia e ponderação estuda o desenvolvimento, os caminhos, descaminhos as possibilidades e as potencialidades do design brasileiro.

Selecionamos dois trechos do livro  como aperitivo, para vocês!

p.203
Sobre a crescente valorização no mundo contemporâneo do artesanato original:

Durante muito tempo se acreditou que a industrialização iria matar o artesanato, da mesma forma que a globalização iria matar as expressões culturais locais....
Os Prognósticos de desaparecimento, contudo, não se confirmaram. Há vários indícios, de que  o lugar do artesanato na sociedade contemporânea está se expandindo.
Esse crescimento se lastreia não mais meramente na capacidade dos objetos de atender à sua função, mas na sua dimensão simbólica.


p.221

De Octavio Paz:
Sobre o Artesanato como comemoração da fraternidade humana:

“Feito com as mãos , o objeto artesanal conserva, real ou metaforicamente, as impressões digitais de quem o fez.
Essas impressões não são a assinatura do artista, não são um nome, nem uma marca. São antes um sinal: a cicatriz
quase apagada que comemora a fraternidade original dos homens”.

Nas páginas 66-68 e 74, Adélia Borges traz informações sobre o Grupo Matizes Dumont, uma família que há três gerações se dedica ao bordado de forma original e criativa, utilizando linhas e pontos para contar histórias e estimular outros a criarem suas próprias formas de expressão pelo bordado. A Sandra, do Bugstudium fez um curso com uma das integrantes do grupo e conta sobre essa experiência no blog dela: http://sandrabugs.blogspot.com.br 

Essa publicação é tanto uma ótima opção de leitura quanto um livro de referência para ter na biblioteca dos interessados em design, principalmente design brasileiro. E a cereja do bolo são as belíssimas imagens abundantemente espalhadas pelo livro.

Boa leitura!

Um comentário:

Marion disse...

Hum...esse me animou! Amei esses pequenos trechos! E eu acho tb, o artesanato está com mais espaço do que nunca, em todos os cantos.... Parabéns pelo post. Abs.